quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Cantora potiguar, Khrystal representa RN no The Voice Brasil


Técnico brinca com a participante e diz que Brown rima com Khrystal







Khrystal se apresenta na quinta Audição com música autoral (Foto: Isabella Pinheiro/TV Globo)
Khrystal se apresenta na quinta Audição com música autoral (Foto: Isabella Pinheiro/TV Globo)




Khrystal se apresenta no quinto dia de Audições e mostra para os
técnicos um pouco de seu trabalho autoral. Já são 15 anos que a potiguar
se dedica à música.












Em sua apresentação no The Voice Brasil, Khrystal escolhe cantar “Morô?”, uma música de sua autoria. Carlinhos Brown, Daniel e Claudia Leitte apertam o botão e viram a cadeira para a participante. "Esse momento é muito importante pra você, meu bem", diz Lulu Santos.






Ao fim de sua apresentação, Brown brinca com Khrystal. “O cristal
ilumina, reluz”, diz o técnico. A potiguar começa a chorar de emoção.
“Deixe a emoção percorrer você”, diz Lulu Santos. Brown continua
brincando. “Khrystal e Natal têm uma rima fantástica, assim como Brown e
Khrystal. Você pode escolher quem você quiser, que estará em boas
mãos”. “Eu vou ficar com tu, Brown”, diz a cantora.





 


 




 


 





 Assista o vídeo da apresentação



Gazeta da Serra/TVG/Rayssa Aline


Cantora potiguar, Khrystal representa RN no The Voice Brasil


Técnico brinca com a participante e diz que Brown rima com Khrystal







Khrystal se apresenta na quinta Audição com música autoral (Foto: Isabella Pinheiro/TV Globo)
Khrystal se apresenta na quinta Audição com música autoral (Foto: Isabella Pinheiro/TV Globo)




Khrystal se apresenta no quinto dia de Audições e mostra para os
técnicos um pouco de seu trabalho autoral. Já são 15 anos que a potiguar
se dedica à música.












Em sua apresentação no The Voice Brasil, Khrystal escolhe cantar “Morô?”, uma música de sua autoria. Carlinhos Brown, Daniel e Claudia Leitte apertam o botão e viram a cadeira para a participante. "Esse momento é muito importante pra você, meu bem", diz Lulu Santos.






Ao fim de sua apresentação, Brown brinca com Khrystal. “O cristal
ilumina, reluz”, diz o técnico. A potiguar começa a chorar de emoção.
“Deixe a emoção percorrer você”, diz Lulu Santos. Brown continua
brincando. “Khrystal e Natal têm uma rima fantástica, assim como Brown e
Khrystal. Você pode escolher quem você quiser, que estará em boas
mãos”. “Eu vou ficar com tu, Brown”, diz a cantora.





 


 




 


 





 Assista o vídeo da apresentação



Gazeta da Serra/TVG/Rayssa Aline


BOLSA FAMÍLIA TAMBEM TRÁS AVANÇOS NA SAÚDE








O programa Bolsa Família
atende hoje a 50 milhões de pessoas, ou seja, 25% da população
brasileira. O número foi divulgado durante a comemoração de 10 anos do
programa, na manhã dessa quarta-feira (30), em Brasília, em solenidade
com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff, do
ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Ministro da Saúde, Alexandre
Padilha, e da Ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome,
Tereza Campello.


O Bolsa Família é mais que a transferência de renda, pois reforça o
acesso a direitos sociais básicos nas áreas de educação, saúde e
assistência social. Mais de 5 milhões de crianças menores de sete anos
estão com a vacinação em dia – este é um dos compromissos assumidos
pelas famílias atendidas. Além disso, estudo publicado em maio na
revista científica The Lancet, afirma que o Bolsa Família
contribuiu para reduzir a mortalidade infantil das crianças até 5 anos
em 19,4%, entre 2004 e 2009. O mesmo estudo aponta que, nas doenças
ligadas diretamente à pobreza, a queda da mortalidade infantil foi mais
acentuada: 46,3% nos casos de diarreia e 58,2% por desnutrição nos
municípios com alta cobertura do programa.


Os compromissos de saúde do Bolsa Família fazem com que as gestantes
se alimentem melhor e façam o acompanhamento pré-natal. “Onde existiu
Bolsa Família, com o apoio das equipes da Saúde da Família no
cadastramento, na busca ativa, no acompanhamento do pré-natal e no
desenvolvimento da criança houve impacto na redução de indicadores na
área da saúde. Um exemplo é a redução da mortalidade infantil em relação
a mortes por diarreia. Onde tem rede de proteção social junto com a
saúde às crianças tiveram uma melhor evolução”, disse o ministro da
Saúde, Alexandre Padilha.






Já a ministra do MDS, Tereza Campello, rechaçou os mitos que rondaram
o programa nesses últimos 10 anos e disse que o momento atual é uma
oportunidade para fazer um balanço dos resultados, divulgar os êxitos e
aprimorar ainda mais o Bolsa Família. “Atualmente é fácil defender o
Bolsa Família, mas nem sempre foi assim”, disse. “Basta de achismos e de
suposições. Temos dados, estatísticas, evidências científicas robustas,
nacionais e internacionais, que sepultam os mitos, os preconceitos e
comprovam os efeitos do Programa Bolsas Família na vida dos mais
pobres.”


Com investimento anual de R$ 24 bilhões, o Bolsa Família retirou 36
milhões de pessoas da extrema pobreza do ponto de vista da renda –
destas, 22 milhões saíram com o apoio do Plano Brasil Sem Miséria.
“Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), lançado
neste mês, aponta que cada R$ 1 investido no programa estimula o
crescimento de R$ 1,78 no Produto Interno Bruto (PIB).


Fonte:
Ministério da Saúde

BOLSA FAMÍLIA TAMBEM TRÁS AVANÇOS NA SAÚDE








O programa Bolsa Família
atende hoje a 50 milhões de pessoas, ou seja, 25% da população
brasileira. O número foi divulgado durante a comemoração de 10 anos do
programa, na manhã dessa quarta-feira (30), em Brasília, em solenidade
com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff, do
ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Ministro da Saúde, Alexandre
Padilha, e da Ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome,
Tereza Campello.


O Bolsa Família é mais que a transferência de renda, pois reforça o
acesso a direitos sociais básicos nas áreas de educação, saúde e
assistência social. Mais de 5 milhões de crianças menores de sete anos
estão com a vacinação em dia – este é um dos compromissos assumidos
pelas famílias atendidas. Além disso, estudo publicado em maio na
revista científica The Lancet, afirma que o Bolsa Família
contribuiu para reduzir a mortalidade infantil das crianças até 5 anos
em 19,4%, entre 2004 e 2009. O mesmo estudo aponta que, nas doenças
ligadas diretamente à pobreza, a queda da mortalidade infantil foi mais
acentuada: 46,3% nos casos de diarreia e 58,2% por desnutrição nos
municípios com alta cobertura do programa.


Os compromissos de saúde do Bolsa Família fazem com que as gestantes
se alimentem melhor e façam o acompanhamento pré-natal. “Onde existiu
Bolsa Família, com o apoio das equipes da Saúde da Família no
cadastramento, na busca ativa, no acompanhamento do pré-natal e no
desenvolvimento da criança houve impacto na redução de indicadores na
área da saúde. Um exemplo é a redução da mortalidade infantil em relação
a mortes por diarreia. Onde tem rede de proteção social junto com a
saúde às crianças tiveram uma melhor evolução”, disse o ministro da
Saúde, Alexandre Padilha.






Já a ministra do MDS, Tereza Campello, rechaçou os mitos que rondaram
o programa nesses últimos 10 anos e disse que o momento atual é uma
oportunidade para fazer um balanço dos resultados, divulgar os êxitos e
aprimorar ainda mais o Bolsa Família. “Atualmente é fácil defender o
Bolsa Família, mas nem sempre foi assim”, disse. “Basta de achismos e de
suposições. Temos dados, estatísticas, evidências científicas robustas,
nacionais e internacionais, que sepultam os mitos, os preconceitos e
comprovam os efeitos do Programa Bolsas Família na vida dos mais
pobres.”


Com investimento anual de R$ 24 bilhões, o Bolsa Família retirou 36
milhões de pessoas da extrema pobreza do ponto de vista da renda –
destas, 22 milhões saíram com o apoio do Plano Brasil Sem Miséria.
“Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), lançado
neste mês, aponta que cada R$ 1 investido no programa estimula o
crescimento de R$ 1,78 no Produto Interno Bruto (PIB).


Fonte:
Ministério da Saúde

CLIMA FICOU TENSO ANTES DO LANÇAMENTO DO SELO UNICEF EM NATAL/RN



O
clima ficou tenso hoje pela manhã quando Integrantes do Movimento Sem
Terra (MST) que estão acampados no Centro Administrativo e que ameaçavam
invadir a Governadoria, se dirigiram para a entrada da Escola de
Governo, onde acontecia o lançamento do Selo Unicef Município Aprovado
2013-2016, com presença de prefeitos e secretários municipais.


Os
manifestantes estavam armados com foices e facão, conduziam faixas e
gritavam palavras de ordem para reivindicarem as exigências da pauta de
negociação apresentada pelo Governo do Estado e que não teriam sido
cumpridas.


CLIMA FICOU TENSO ANTES DO LANÇAMENTO DO SELO UNICEF EM NATAL/RN



O
clima ficou tenso hoje pela manhã quando Integrantes do Movimento Sem
Terra (MST) que estão acampados no Centro Administrativo e que ameaçavam
invadir a Governadoria, se dirigiram para a entrada da Escola de
Governo, onde acontecia o lançamento do Selo Unicef Município Aprovado
2013-2016, com presença de prefeitos e secretários municipais.


Os
manifestantes estavam armados com foices e facão, conduziam faixas e
gritavam palavras de ordem para reivindicarem as exigências da pauta de
negociação apresentada pelo Governo do Estado e que não teriam sido
cumpridas.


TELEAPAE SERÁ DIA 4 DE NOVEMBRO EM CURRAIS NOVOS/RN





A iniciativa beneficente será no próximo dia 04 de Novembro (segunda-feira) pelo Canal 4 da Sidy´s TV a Cabo.

O tema deste ano é “Sua doação realiza sonhos” e, na ocasião, serão
apresentadas e vendidas pinturas em tela, feitas pelos alunos da APAE,
coordenados pelo artista plástico Chaguinha.




Melhorias






O presidente da entidade, George Negreiros disse ao Blog, que em sua
8ª Edição, o TeleAPAE estará buscando recursos para a APAE, objetivando
melhorar a infraestrutura (salas, piso, consultório odontológico, etc.),
bem como a segurança (grades, muro, vigilância, etc.). A instituição já
foi assaltada 04 vezes.




Fonte: http://www.vlaudeyliberato.com/

TELEAPAE SERÁ DIA 4 DE NOVEMBRO EM CURRAIS NOVOS/RN





A iniciativa beneficente será no próximo dia 04 de Novembro (segunda-feira) pelo Canal 4 da Sidy´s TV a Cabo.

O tema deste ano é “Sua doação realiza sonhos” e, na ocasião, serão
apresentadas e vendidas pinturas em tela, feitas pelos alunos da APAE,
coordenados pelo artista plástico Chaguinha.




Melhorias






O presidente da entidade, George Negreiros disse ao Blog, que em sua
8ª Edição, o TeleAPAE estará buscando recursos para a APAE, objetivando
melhorar a infraestrutura (salas, piso, consultório odontológico, etc.),
bem como a segurança (grades, muro, vigilância, etc.). A instituição já
foi assaltada 04 vezes.




Fonte: http://www.vlaudeyliberato.com/

MAIS DE 17 MIL ESTUDANTES FARÃO PROVA PARA CURSOS TECNICOS DO IFRN







Na tarde dessa terça-feira (29), a Pró-Reitoria de Ensino do IFRN
divulgou a concorrência para o processo seletivo conhecido com Exame de
Seleção, voltado para os cursos técnicos integrados de nível médio.


O curso que apresentou maior concorrência foi o Técnico Integrado em
Administração do Câmpus Natal-Central, com um número de 18,33 estudantes
inscritos por vaga, seguido pelo Técnico em Informática para Internet,
também do Câmpus Natal-Central, com 17,25, e do Técnico em Edificações
do Câmpus Mossoró, com 17,22 estudantes por vaga.




O Curso Técnico Integrado Têxtil do Câmpus Caicó, ofertado pela
primeira vez, apresentou a menor concorrência, com 1,8 alunos inscritos
por vaga.

MAIS DE 17 MIL ESTUDANTES FARÃO PROVA PARA CURSOS TECNICOS DO IFRN







Na tarde dessa terça-feira (29), a Pró-Reitoria de Ensino do IFRN
divulgou a concorrência para o processo seletivo conhecido com Exame de
Seleção, voltado para os cursos técnicos integrados de nível médio.


O curso que apresentou maior concorrência foi o Técnico Integrado em
Administração do Câmpus Natal-Central, com um número de 18,33 estudantes
inscritos por vaga, seguido pelo Técnico em Informática para Internet,
também do Câmpus Natal-Central, com 17,25, e do Técnico em Edificações
do Câmpus Mossoró, com 17,22 estudantes por vaga.




O Curso Técnico Integrado Têxtil do Câmpus Caicó, ofertado pela
primeira vez, apresentou a menor concorrência, com 1,8 alunos inscritos
por vaga.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

GOVERNO FEDERAL CELEBRA 10 ANOS DO BOLSA FAMILIA







O governo realiza, nesta quarta-feira (30), às 11h, cerimônia para
marcar os 10 anos do Bolsa Família, o principal programa de
transferência de renda condicionada do mundo e que é base para
implantação de ações semelhantes em diversos outros países. A abertura
contará com a presença da presidenta Dilma Rousseff, da ministra do
Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e do
presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda. O evento será
realizado no auditório 2 do Museu da República.




Programação

No período da tarde, haverá duas mesas de debate, onde serão
destacados os principais resultados do Bolsa Família desde sua criação,
em 2003. Estão confirmadas as presenças do ministro da Educação, Aloizio
Mercadante, do cineasta Sérgio Machado e dos pesquisadores Sergei
Soares (Ipea), Walquíria Leão (Unicamp), Amélia Cohn (USP) e Rômulo Paes
de Sousa (Centro Rio+).


No dia, ainda será lançado um selo comemorativo e dois livros. Um é o livro Os Filhos Deste Solo – Olhares Sobre o Povo Brasileiro,
que reúne textos de várias personalidades, como Tata Amaral, Jorge
Mautner, Lirinha, Emicida, Ellen Oléria e Fernando Anitelli, cada um
trazendo suas visões sobre o Brasil, as melhorias que a população teve
nos últimos 10 anos e os desafios que ainda o país precisa enfrentar. Em
complemento ao livro, ocorre, no Anexo do Museu da República, a
exposição Os Filhos Deste Solo, que segue até o dia 31 de outubro.






O outro é a publicação Programa Bolsa Família: uma década de inclusão e cidadania,
desenvolvida pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
(MDS) e Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O livro é uma
coletânea de artigos, elaborados por técnicos e pesquisadores de
distintas áreas e instituições, que avaliam as evoluções ocorridas no
Bolsa Família em sua história, os resultados diretos e indiretos
alcançados e as perspectivas que o programa deve buscar nos próximos
anos.


Veja a programação completa aqui.

Credenciamento de Imprensa: por meio do Palácio do Planalto

Transmissão #aovivo no hotsite Bolsa Família 10 Anos



Fonte:

Bolsa Família 10 anos

















GOVERNO FEDERAL CELEBRA 10 ANOS DO BOLSA FAMILIA







O governo realiza, nesta quarta-feira (30), às 11h, cerimônia para
marcar os 10 anos do Bolsa Família, o principal programa de
transferência de renda condicionada do mundo e que é base para
implantação de ações semelhantes em diversos outros países. A abertura
contará com a presença da presidenta Dilma Rousseff, da ministra do
Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e do
presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda. O evento será
realizado no auditório 2 do Museu da República.




Programação

No período da tarde, haverá duas mesas de debate, onde serão
destacados os principais resultados do Bolsa Família desde sua criação,
em 2003. Estão confirmadas as presenças do ministro da Educação, Aloizio
Mercadante, do cineasta Sérgio Machado e dos pesquisadores Sergei
Soares (Ipea), Walquíria Leão (Unicamp), Amélia Cohn (USP) e Rômulo Paes
de Sousa (Centro Rio+).


No dia, ainda será lançado um selo comemorativo e dois livros. Um é o livro Os Filhos Deste Solo – Olhares Sobre o Povo Brasileiro,
que reúne textos de várias personalidades, como Tata Amaral, Jorge
Mautner, Lirinha, Emicida, Ellen Oléria e Fernando Anitelli, cada um
trazendo suas visões sobre o Brasil, as melhorias que a população teve
nos últimos 10 anos e os desafios que ainda o país precisa enfrentar. Em
complemento ao livro, ocorre, no Anexo do Museu da República, a
exposição Os Filhos Deste Solo, que segue até o dia 31 de outubro.






O outro é a publicação Programa Bolsa Família: uma década de inclusão e cidadania,
desenvolvida pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
(MDS) e Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O livro é uma
coletânea de artigos, elaborados por técnicos e pesquisadores de
distintas áreas e instituições, que avaliam as evoluções ocorridas no
Bolsa Família em sua história, os resultados diretos e indiretos
alcançados e as perspectivas que o programa deve buscar nos próximos
anos.


Veja a programação completa aqui.

Credenciamento de Imprensa: por meio do Palácio do Planalto

Transmissão #aovivo no hotsite Bolsa Família 10 Anos



Fonte:

Bolsa Família 10 anos

















PREFEITURAS FECHARÃO PORTAS EM PROTESTO CONTRA CRISE FINANCEIRA













As
prefeituras do Rio Grande do Norte promoverão nos próximos dias 5 e 6
de novembro (terça e quarta-feira da próxima semana) um protesto
coletivo e simbólico contra a crise financeira. A decisão foi tomada
nesta terça-feira, 29, em assembleia convocada pela Federação dos
Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN).


No
protesto, que faz parte do movimento SOS Municípios, lançado no último
dia 21, as Prefeituras terão suas sedes administrativas fechadas e
sinalizadas com uma faixa preta e uma mensagem à população. Os serviços
públicos essenciais serão preservados.


Também
nos dias 5 e 6, uma comissão de prefeitos, liderada pelo presidente da
FEMURN, Benes Leocádio, estará em Brasília onde pretende visitar todos
os parlamentares federais do Estado. Os prefeitos pretendem solicitar
que deputados e senadores se comprometam em votar de acordo com os
interesses dos municípios.


As
estratégias estabelecidas pela assembleia extraordinária da Femurn não
param por aí. Todos os prefeitos se comprometeram em telefonar para os
deputados e senadores para exigir que votem a favor de medidas de
socorro às gestões municipais. Os gestores também pretendem procurar os
veículos de comunicação locais para prestar esclarecimentos à população e
conscientizar a respeito dos problemas decorrentes da falta de recursos
financeiros.


Uma
das medidas solicitadas ao Congresso Nacional é a aprovação da Proposta
de Emenda Constitucional 39 que aumenta em 2 por cento a destinação dos
recursos arrecadados com o Imposto de Renda e o Imposto sobre Produção
Industrial (IPI) para o Fundo de Participação dos Municípios.




O
Movimento SOS Municípios vai continuar e ser ampliado. Nos dias 11 e 12
de novembro, a Confederação Nacional dos Municípios promoverá,
conjuntamente com as Federações Estaduais, uma grande mobilização junto
ao Congresso Nacional dos Municípios. “Temos de agir agora. A hora é
essa. Se medidas não forem tomadas agora, os municípios não terão
condições de governabilidade em 2014”, afirma o presidente da Femurn.




Fonte: DJ Aildo

PREFEITURAS FECHARÃO PORTAS EM PROTESTO CONTRA CRISE FINANCEIRA













As
prefeituras do Rio Grande do Norte promoverão nos próximos dias 5 e 6
de novembro (terça e quarta-feira da próxima semana) um protesto
coletivo e simbólico contra a crise financeira. A decisão foi tomada
nesta terça-feira, 29, em assembleia convocada pela Federação dos
Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN).


No
protesto, que faz parte do movimento SOS Municípios, lançado no último
dia 21, as Prefeituras terão suas sedes administrativas fechadas e
sinalizadas com uma faixa preta e uma mensagem à população. Os serviços
públicos essenciais serão preservados.


Também
nos dias 5 e 6, uma comissão de prefeitos, liderada pelo presidente da
FEMURN, Benes Leocádio, estará em Brasília onde pretende visitar todos
os parlamentares federais do Estado. Os prefeitos pretendem solicitar
que deputados e senadores se comprometam em votar de acordo com os
interesses dos municípios.


As
estratégias estabelecidas pela assembleia extraordinária da Femurn não
param por aí. Todos os prefeitos se comprometeram em telefonar para os
deputados e senadores para exigir que votem a favor de medidas de
socorro às gestões municipais. Os gestores também pretendem procurar os
veículos de comunicação locais para prestar esclarecimentos à população e
conscientizar a respeito dos problemas decorrentes da falta de recursos
financeiros.


Uma
das medidas solicitadas ao Congresso Nacional é a aprovação da Proposta
de Emenda Constitucional 39 que aumenta em 2 por cento a destinação dos
recursos arrecadados com o Imposto de Renda e o Imposto sobre Produção
Industrial (IPI) para o Fundo de Participação dos Municípios.




O
Movimento SOS Municípios vai continuar e ser ampliado. Nos dias 11 e 12
de novembro, a Confederação Nacional dos Municípios promoverá,
conjuntamente com as Federações Estaduais, uma grande mobilização junto
ao Congresso Nacional dos Municípios. “Temos de agir agora. A hora é
essa. Se medidas não forem tomadas agora, os municípios não terão
condições de governabilidade em 2014”, afirma o presidente da Femurn.




Fonte: DJ Aildo

ALUNA DA E.M SENHORA SANTANA IRÁ REPRESENTAR TENENTE LAURENTINO NA IV CONFERENCIAL NACIONAL DO MEIO AMBIENTE







A
aluna Juliana Estefane no 9° ano ''A'' da  Escola Municipal Senhora
Santana de Tenente Laurentino Cruz, irá representar o município na IV
Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente nos dias 23 a 28
de novembro em Brasília(DF).


Juliana foi escolhida por votação em
plenária no dia 29 de agosto na Conferência Municipal do Meio Ambiente
para ser a Delegada e defender o Projeto Jardim Escolar da E.M. Senhora
Santana na Conferência Regional em Currais Novos, a qual aconteceu no
dia 10 de outubro, na ocasião novamente por votação a mesma foi
escolhida para representar a 9° DIRED  na Conferência Estadual que
aconteceu nos dias 22 e 23 de outubro em  São José de Mipimbu.











No próximo dia 21 de novembro Juliana viajará para Brasília junto com a Delegação Estadual para participar da IV
Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente levando o nome
da cidade de Tenente Laurentino Cruz ao destaque nacional.




A Conferência Nacional será o
encontro de aproximadamente 700 delegados e delegadas, entre 11 e 14
anos, que já debateram o tema em suas escolas, nas Conferências
Municipais e ou Regionais e nas Conferências Estaduais. Na Conferência
Nacional, esses jovens irão aprofundar a temática, socializar os
projetos, participar de oficinas temáticas.


ALUNA DA E.M SENHORA SANTANA IRÁ REPRESENTAR TENENTE LAURENTINO NA IV CONFERENCIAL NACIONAL DO MEIO AMBIENTE







A
aluna Juliana Estefane no 9° ano ''A'' da  Escola Municipal Senhora
Santana de Tenente Laurentino Cruz, irá representar o município na IV
Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente nos dias 23 a 28
de novembro em Brasília(DF).


Juliana foi escolhida por votação em
plenária no dia 29 de agosto na Conferência Municipal do Meio Ambiente
para ser a Delegada e defender o Projeto Jardim Escolar da E.M. Senhora
Santana na Conferência Regional em Currais Novos, a qual aconteceu no
dia 10 de outubro, na ocasião novamente por votação a mesma foi
escolhida para representar a 9° DIRED  na Conferência Estadual que
aconteceu nos dias 22 e 23 de outubro em  São José de Mipimbu.











No próximo dia 21 de novembro Juliana viajará para Brasília junto com a Delegação Estadual para participar da IV
Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente levando o nome
da cidade de Tenente Laurentino Cruz ao destaque nacional.




A Conferência Nacional será o
encontro de aproximadamente 700 delegados e delegadas, entre 11 e 14
anos, que já debateram o tema em suas escolas, nas Conferências
Municipais e ou Regionais e nas Conferências Estaduais. Na Conferência
Nacional, esses jovens irão aprofundar a temática, socializar os
projetos, participar de oficinas temáticas.


SINDICATOS ENTREGAM PEDIDO DE IMPEACHMENT DE ROSALBA À ALRN E AMEAÇAM PROCESSAR GOVERNO




Sinai e Sindsaúde vão apresentar aos deputados o pedido de impeachment da governadora na quinta-feira. Foto: Divulgação
Sinai e Sindsaúde vão apresentar aos deputados o pedido de impeachment da governadora na quinta-feira. Foto: Divulgação










O Dia do Servidor Público foi lamentado nesta segunda-feira. Isso
mesmo, lamentado, porque segundo os Sindicatos dos Servidores da
Administração Indireta (Sinai) e dos Trabalhadores da Saúde (Sindsaúde),
a quantidade de fatos a se lamentar devido à atual gestão estadual são
maiores do que os motivos de comemoração. Tanto é assim que o Sindsaúde
deve apresentar um pedido de impeachment da governadora Rosalba Ciarlini
(DEM) à Assembleia Legislativa na próxima quinta-feira.








O pedido será baseado no “não cumprimento de responsabilidades do
Governo, como na Saúde e Educação”, conforme ressaltou a
coordenadora-geral do Sindsaúde, Simone Dutra. “Vamos apresentar uma
denúncia por improbidade administrativa. O Governo não está fazendo o
seu papel e não podemos mais esperar até que essa gestão termine para
mudar o comando. Precisamos de uma mudança agora. Precisamos que a
sociedade se mova nesse sentido, porque não somos obrigados a esperar
quatro anos por uma má escolha na eleição”, ressaltou Dutra.









Segundo a sindicalista, esse descumprimento de responsabilidades
estaduais pode ser traduzido na morte de pacientes na rede pública de
saúde e no anúncio de atraso no pagamento dos servidores – segundo o
Governo, uma reprogramação salarial.








Com relação ao atraso no pagamento de servidores, por sinal, tanto o
Sindsaúde, quanto o Sinai já estudam entrar com ações na Justiça contra o
Governo do Estado caso o pagamento seja feito após o que determinam a
Legislação Trabalhistas, que é a folha quitada até o quinto dia útil do
mês seguinte. “Essa questão de reprogramação foi mais um assunto que
temos a lamentar e que está dentro dessa situação de desmantelamento do
funcionalismo público estadual. Até porque não há qualquer fato,
qualquer indício que justifique esse atraso, uma vez que o estado tem
uma arrecadação maior do que a do ano passado e em 2012, nós não
sofremos com esse problema no ano passado”, ressaltou o presidente do
Sinai, Santino Arruda.








Além disso, segundo o dirigente sindical, a justificativa do Governo
do Estado, de que a folha de servidores tem sido responsável por parte
das dificuldades financeiras do Estado, também não se “encaixa” com a
realidade. “Nós temos boa parte dos salários congelados há alguns anos.
Os servidores da administração indireta do Estado, por exemplo, não
tiveram aumento salarial e agora vão ter que sofrer com essa
reprogramação. Por isso, caso o pagamento dos salários ou do décimo
terceiro não seja feito dentro do período legal, vamos sim recorrer a
Justiça”, ameaçou Arruda.








Vale lembrar que, segundo o Governo do Estado, o pagamento dos
salários de 95% dos servidores públicos deverá ser feito até o dia 31
deste mês. O restante dos funcionários públicos deverá receber até o dia
8 de novembro, ou seja, antes do quinto dia útil do mês subsequente.
Contudo, essa “reprogramação de pagamentos” deve continuar até o final
do ano. E também segundo o Governo, não há garantia nem mesmo do 13°
salário pago dentro do tempo.








“Sinceramente, não acreditamos que o Governo tenha a cara de pau a
ponto de ferir a lei trabalhista nesse sentido. Contudo, estamos
preparados para buscar a correção judicial disso, até porque não
esperávamos essa reprogramação financeira. Não aconteceu nada nesse ano
que tenha se diferenciado dos últimos 20 anos (quando o Estado passou
por crises, mas não mudou a data de pagamento do funcionalismo)”,
ressaltou.








De qualquer forma, mesmo se não ferir a legislação, a reprogramação
financeira já representa um problema para o Estado, uma vez que atrasa a
entrada de dinheiro no comércio. “O dinheiro do salário não vai para a
poupança. Vai para o comércio, movimenta a economia. Muitos já esperam o
final do mês para atender os funcionários públicos. Com o atraso no
pagamento, vai diminuir a oferta de produtos, as vendas e até a
arrecadação do próprio Estado. É de uma miopia muito grande por parte do
Governo essa reprogramação”, analisou.





Gazeta da Serra/Jornal de hoje/ Rayssa Aline

SINDICATOS ENTREGAM PEDIDO DE IMPEACHMENT DE ROSALBA À ALRN E AMEAÇAM PROCESSAR GOVERNO




Sinai e Sindsaúde vão apresentar aos deputados o pedido de impeachment da governadora na quinta-feira. Foto: Divulgação
Sinai e Sindsaúde vão apresentar aos deputados o pedido de impeachment da governadora na quinta-feira. Foto: Divulgação










O Dia do Servidor Público foi lamentado nesta segunda-feira. Isso
mesmo, lamentado, porque segundo os Sindicatos dos Servidores da
Administração Indireta (Sinai) e dos Trabalhadores da Saúde (Sindsaúde),
a quantidade de fatos a se lamentar devido à atual gestão estadual são
maiores do que os motivos de comemoração. Tanto é assim que o Sindsaúde
deve apresentar um pedido de impeachment da governadora Rosalba Ciarlini
(DEM) à Assembleia Legislativa na próxima quinta-feira.








O pedido será baseado no “não cumprimento de responsabilidades do
Governo, como na Saúde e Educação”, conforme ressaltou a
coordenadora-geral do Sindsaúde, Simone Dutra. “Vamos apresentar uma
denúncia por improbidade administrativa. O Governo não está fazendo o
seu papel e não podemos mais esperar até que essa gestão termine para
mudar o comando. Precisamos de uma mudança agora. Precisamos que a
sociedade se mova nesse sentido, porque não somos obrigados a esperar
quatro anos por uma má escolha na eleição”, ressaltou Dutra.









Segundo a sindicalista, esse descumprimento de responsabilidades
estaduais pode ser traduzido na morte de pacientes na rede pública de
saúde e no anúncio de atraso no pagamento dos servidores – segundo o
Governo, uma reprogramação salarial.








Com relação ao atraso no pagamento de servidores, por sinal, tanto o
Sindsaúde, quanto o Sinai já estudam entrar com ações na Justiça contra o
Governo do Estado caso o pagamento seja feito após o que determinam a
Legislação Trabalhistas, que é a folha quitada até o quinto dia útil do
mês seguinte. “Essa questão de reprogramação foi mais um assunto que
temos a lamentar e que está dentro dessa situação de desmantelamento do
funcionalismo público estadual. Até porque não há qualquer fato,
qualquer indício que justifique esse atraso, uma vez que o estado tem
uma arrecadação maior do que a do ano passado e em 2012, nós não
sofremos com esse problema no ano passado”, ressaltou o presidente do
Sinai, Santino Arruda.








Além disso, segundo o dirigente sindical, a justificativa do Governo
do Estado, de que a folha de servidores tem sido responsável por parte
das dificuldades financeiras do Estado, também não se “encaixa” com a
realidade. “Nós temos boa parte dos salários congelados há alguns anos.
Os servidores da administração indireta do Estado, por exemplo, não
tiveram aumento salarial e agora vão ter que sofrer com essa
reprogramação. Por isso, caso o pagamento dos salários ou do décimo
terceiro não seja feito dentro do período legal, vamos sim recorrer a
Justiça”, ameaçou Arruda.








Vale lembrar que, segundo o Governo do Estado, o pagamento dos
salários de 95% dos servidores públicos deverá ser feito até o dia 31
deste mês. O restante dos funcionários públicos deverá receber até o dia
8 de novembro, ou seja, antes do quinto dia útil do mês subsequente.
Contudo, essa “reprogramação de pagamentos” deve continuar até o final
do ano. E também segundo o Governo, não há garantia nem mesmo do 13°
salário pago dentro do tempo.








“Sinceramente, não acreditamos que o Governo tenha a cara de pau a
ponto de ferir a lei trabalhista nesse sentido. Contudo, estamos
preparados para buscar a correção judicial disso, até porque não
esperávamos essa reprogramação financeira. Não aconteceu nada nesse ano
que tenha se diferenciado dos últimos 20 anos (quando o Estado passou
por crises, mas não mudou a data de pagamento do funcionalismo)”,
ressaltou.








De qualquer forma, mesmo se não ferir a legislação, a reprogramação
financeira já representa um problema para o Estado, uma vez que atrasa a
entrada de dinheiro no comércio. “O dinheiro do salário não vai para a
poupança. Vai para o comércio, movimenta a economia. Muitos já esperam o
final do mês para atender os funcionários públicos. Com o atraso no
pagamento, vai diminuir a oferta de produtos, as vendas e até a
arrecadação do próprio Estado. É de uma miopia muito grande por parte do
Governo essa reprogramação”, analisou.





Gazeta da Serra/Jornal de hoje/ Rayssa Aline

terça-feira, 29 de outubro de 2013

PESQUISADORES DA UFRN ARTICULAM CRIAÇÃO DE CENTROS DE ESTUDOS SOBRE DESASTRES


Por Luciano Galvão







Estiagem
na região semiárida é estudada pelo Grupo de Pesquisa Dinâmicas
Ambientais, Riscos e Ordenamento Territorial (GEORISCO) da UFRN





“Nenhuma ciência sozinha é competente para tratar de algo tão
complexo”. É ao fenômeno dos desastres que se refere, sem hesitar, o
professor Pitágoras Bindé, docente do Departamento de Psicologia da
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). “Isolados, os
saberes não fazem nada para resolver o problema”, assegura.

Cientes
da questão, pesquisadores da Universidade querem propor a criação do
Centro de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (CEPED), projeto que
pretende reunir cientistas de diversas áreas do conhecimento para
desenvolver investigações sobre a temática na UFRN, assim como oferecer
suporte técnico às instituições públicas que atuam em situações de
catástrofes, como a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e o Atendimento
Móvel de Urgência (SAMU).

Coordenador da iniciativa e professor
do Departamento de Geografia, Lutiane Almeida explica que o projeto tem
sido conversado com a Reitoria e as defesas civis Estadual e Nacional. A
ideia é estabelecer um convênio de cooperação entre a Universidade e os
serviços de emergência. O acordo formal deve ser firmado durante o 1º
Seminário Multidisciplinar sobre Desastres, a ser realizado nos dias 4 e
5 de novembro deste ano.

Desde 2011, Lutiane coordena na UFRN o
Grupo de Pesquisa Dinâmicas Ambientais, Riscos e Ordenamento Territorial
(GEORISCO), no qual são desenvolvidos estudos que examinam as relações
entre a transformação do ambiente e as fragilidades sociais no Rio
Grande do Norte. O mapeamento das regiões vulneráveis de Natal e a
proposta de instalação de um sistema de alerta de risco na cidade são
exemplos de análises conduzidas dentro do Grupo.

As pesquisas se
dispõem a avaliar perigos para comunidades, apontar onde há ocorrência
dos fenômenos e relacioná-los com fatores sociais e naturais. “Os
primeiros resultados de um de nossos estudos indicam que há coincidência
entre os desastres e áreas com falta de serviços urbanos”, relata
Lutiane.

Interdisciplinaridade

No Rio
Grande do Norte são registrados variados tipos de riscos naturais:
afogamentos nas praias do litoral, deslizamento de barreiras,
escorregamento de dunas, terremotos na região da Baixa Verde, inundações
no Vale do Assu e a estiagem na região semiárida são exemplos. Há
também perigos provocados pela ação humana, como os decorrentes do
trânsito e das grandes aglomerações de pessoas, sobretudo na capital.

A
necessidade de interação entre os saberes para abordar tema tão amplo é
consenso entre os professores. “Quando a gente fala de risco, estamos
falando de interdisciplinaridade”, afirma Ermínio Fernandes, do
Departamento de Geografia. “As áreas têm que sentar juntas, entender o
fenômeno e buscar possíveis soluções. Não tem como ser diferente”,
sustenta o docente, que também colabora com o GEORISCO.

Ermínio
explica que sua contribuição para as pesquisas sobre catástrofes é
entender o fenômeno do ponto de vista técnico, ao examinar as
características físicas do solo. “Estudamos questões como ‘que
parâmetros uma duna tem que ter para começar a escorregar’, ‘qual a
carga que ela suporta de peso’ ou ‘quanto tempo leva para deslocar-se’”,
exemplifica.

Segundo o professor, a Geografia tem participação
relevante no estudo dos perigos por observar os mecanismos da natureza
e, ao mesmo tempo, oferecer respostas às fragilidades sociais nas
comunidades. “Nossa disciplina é um leque de contribuições porque tem um
grande arcabouço teórico-metodológico de pesquisa nesses temas. Agora,
claro que a gente não é suficiente”, ressalva.





Para Ermínio, a Universidade deve sempre manter contato com entidades
públicas que atuem em situações de desastres. “Elas precisam saber
quais são as áreas vulneráveis e quais os riscos que cada uma apresenta.
Alguns lugares carecem de estudos mais detalhados, tanto do ponto de
vista socioambiental quanto geomorfológico, para dar base ao trabalho
dos órgãos responsáveis”, diz.










Wallacy Medeiros




Coordenador da iniciativa e professor do Departamento de Geografia,
Lutiane Almeida explica que o projeto tem sido conversado com a Reitoria
e as defesas civis Estadual e Nacional





Serviços de emergência

Ricardo Matos, do
Departamento de Engenharia de Produção, aponta para outro aspecto do
problema. O professor explica que embora haja alguma interlocução entre
os sistemas públicos de resposta a emergências, as atividades poderiam
ser mais bem organizadas.

“Os serviços de emergência no País
precisam de um trabalho de aglutinação, um trabalho coordenado”,
defende. “É importante definir quais os limites de atuação de cada um e
de que maneira eles podem atuar juntos, inclusive fazendo treinamentos
de ação mútua para cenários determinados”, afirma Ricardo.

De
acordo com o pesquisador, desastres são fenômenos complexos, que
precisam de uma abordagem conjunta para serem compreendidos. “É algo que
não cabe em uma única disciplina e que diz respeito a todo cidadão. Por
isso nossa proposta é reunir pessoas interessadas em desencadear
investigações sobre o assunto”, pontua.

O docente entende que é
necessário promover uma “maturidade” nas organizações de maneira que
elas possam dar respostas eficientes às situações críticas. Formas de
trabalhar em equipe, ferramentas que facilitem o raciocínio dos atores
envolvidos e processos que diminuam a fadiga e os erros são exemplos de
elementos a serem estudados.

Ricardo lembra que a colaboração da
Universidade não deve resumir-se à pesquisa. “Esse Centro de Estudos
terá também o papel de desenvolver atividades de extensão junto à
sociedade e formar pessoas para atuar na área de desastres”, diz.

Pessoas

Pitágoras
Bindé, do Departamento de Psicologia, explica que sua área preocupa-se
com o componente humano das catástrofes, ao ocupar-se de vítimas e
co-autores dos acontecimentos extremos, além de pessoas que atuem
diretamente com os riscos.

O professor esclarece que a
contribuição da Psicologia acontece em três momentos: na prevenção dos
desastres, no combate ao problema e na reparação de possíveis danos
psicológicos ocasionados pelos eventos.
Como exemplo de trabalho
desenvolvido, Pitágoras cita a avaliação de planos de evacuação, quando
pesquisadores confrontam os perfis de comportamentos previstos nos
documentos com relatos e gravações de casos reais.

Segundo o
docente, projetos de emergência normalmente presumem que as pessoas irão
agir de um modo determinado nos momentos de perigo, mas nem sempre
esses comportamentos se confirmarão. “Se você pegar qualquer plano
desses, a primeira diretriz é ‘não entre em pânico’. Mas o que a gente
verifica, na prática, é exatamente o contrário”, relata.

Sobre o
CEPED, Pitágoras vê na iniciativa a adoção, pela UFRN, de um
compromisso institucional. “Queremos que o esforço deixe de ser dos
professores individualmente e a Universidade, como instituição, passe a
desenvolver estudos e a disponibilizar pessoas de todas as áreas para
ajudar nas atividades dos órgãos públicos”, ressalta o professor.





Rayssa Aline/ Gazeta da serra











PESQUISADORES DA UFRN ARTICULAM CRIAÇÃO DE CENTROS DE ESTUDOS SOBRE DESASTRES


Por Luciano Galvão







Estiagem
na região semiárida é estudada pelo Grupo de Pesquisa Dinâmicas
Ambientais, Riscos e Ordenamento Territorial (GEORISCO) da UFRN





“Nenhuma ciência sozinha é competente para tratar de algo tão
complexo”. É ao fenômeno dos desastres que se refere, sem hesitar, o
professor Pitágoras Bindé, docente do Departamento de Psicologia da
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). “Isolados, os
saberes não fazem nada para resolver o problema”, assegura.

Cientes
da questão, pesquisadores da Universidade querem propor a criação do
Centro de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (CEPED), projeto que
pretende reunir cientistas de diversas áreas do conhecimento para
desenvolver investigações sobre a temática na UFRN, assim como oferecer
suporte técnico às instituições públicas que atuam em situações de
catástrofes, como a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e o Atendimento
Móvel de Urgência (SAMU).

Coordenador da iniciativa e professor
do Departamento de Geografia, Lutiane Almeida explica que o projeto tem
sido conversado com a Reitoria e as defesas civis Estadual e Nacional. A
ideia é estabelecer um convênio de cooperação entre a Universidade e os
serviços de emergência. O acordo formal deve ser firmado durante o 1º
Seminário Multidisciplinar sobre Desastres, a ser realizado nos dias 4 e
5 de novembro deste ano.

Desde 2011, Lutiane coordena na UFRN o
Grupo de Pesquisa Dinâmicas Ambientais, Riscos e Ordenamento Territorial
(GEORISCO), no qual são desenvolvidos estudos que examinam as relações
entre a transformação do ambiente e as fragilidades sociais no Rio
Grande do Norte. O mapeamento das regiões vulneráveis de Natal e a
proposta de instalação de um sistema de alerta de risco na cidade são
exemplos de análises conduzidas dentro do Grupo.

As pesquisas se
dispõem a avaliar perigos para comunidades, apontar onde há ocorrência
dos fenômenos e relacioná-los com fatores sociais e naturais. “Os
primeiros resultados de um de nossos estudos indicam que há coincidência
entre os desastres e áreas com falta de serviços urbanos”, relata
Lutiane.

Interdisciplinaridade

No Rio
Grande do Norte são registrados variados tipos de riscos naturais:
afogamentos nas praias do litoral, deslizamento de barreiras,
escorregamento de dunas, terremotos na região da Baixa Verde, inundações
no Vale do Assu e a estiagem na região semiárida são exemplos. Há
também perigos provocados pela ação humana, como os decorrentes do
trânsito e das grandes aglomerações de pessoas, sobretudo na capital.

A
necessidade de interação entre os saberes para abordar tema tão amplo é
consenso entre os professores. “Quando a gente fala de risco, estamos
falando de interdisciplinaridade”, afirma Ermínio Fernandes, do
Departamento de Geografia. “As áreas têm que sentar juntas, entender o
fenômeno e buscar possíveis soluções. Não tem como ser diferente”,
sustenta o docente, que também colabora com o GEORISCO.

Ermínio
explica que sua contribuição para as pesquisas sobre catástrofes é
entender o fenômeno do ponto de vista técnico, ao examinar as
características físicas do solo. “Estudamos questões como ‘que
parâmetros uma duna tem que ter para começar a escorregar’, ‘qual a
carga que ela suporta de peso’ ou ‘quanto tempo leva para deslocar-se’”,
exemplifica.

Segundo o professor, a Geografia tem participação
relevante no estudo dos perigos por observar os mecanismos da natureza
e, ao mesmo tempo, oferecer respostas às fragilidades sociais nas
comunidades. “Nossa disciplina é um leque de contribuições porque tem um
grande arcabouço teórico-metodológico de pesquisa nesses temas. Agora,
claro que a gente não é suficiente”, ressalva.





Para Ermínio, a Universidade deve sempre manter contato com entidades
públicas que atuem em situações de desastres. “Elas precisam saber
quais são as áreas vulneráveis e quais os riscos que cada uma apresenta.
Alguns lugares carecem de estudos mais detalhados, tanto do ponto de
vista socioambiental quanto geomorfológico, para dar base ao trabalho
dos órgãos responsáveis”, diz.










Wallacy Medeiros




Coordenador da iniciativa e professor do Departamento de Geografia,
Lutiane Almeida explica que o projeto tem sido conversado com a Reitoria
e as defesas civis Estadual e Nacional





Serviços de emergência

Ricardo Matos, do
Departamento de Engenharia de Produção, aponta para outro aspecto do
problema. O professor explica que embora haja alguma interlocução entre
os sistemas públicos de resposta a emergências, as atividades poderiam
ser mais bem organizadas.

“Os serviços de emergência no País
precisam de um trabalho de aglutinação, um trabalho coordenado”,
defende. “É importante definir quais os limites de atuação de cada um e
de que maneira eles podem atuar juntos, inclusive fazendo treinamentos
de ação mútua para cenários determinados”, afirma Ricardo.

De
acordo com o pesquisador, desastres são fenômenos complexos, que
precisam de uma abordagem conjunta para serem compreendidos. “É algo que
não cabe em uma única disciplina e que diz respeito a todo cidadão. Por
isso nossa proposta é reunir pessoas interessadas em desencadear
investigações sobre o assunto”, pontua.

O docente entende que é
necessário promover uma “maturidade” nas organizações de maneira que
elas possam dar respostas eficientes às situações críticas. Formas de
trabalhar em equipe, ferramentas que facilitem o raciocínio dos atores
envolvidos e processos que diminuam a fadiga e os erros são exemplos de
elementos a serem estudados.

Ricardo lembra que a colaboração da
Universidade não deve resumir-se à pesquisa. “Esse Centro de Estudos
terá também o papel de desenvolver atividades de extensão junto à
sociedade e formar pessoas para atuar na área de desastres”, diz.

Pessoas

Pitágoras
Bindé, do Departamento de Psicologia, explica que sua área preocupa-se
com o componente humano das catástrofes, ao ocupar-se de vítimas e
co-autores dos acontecimentos extremos, além de pessoas que atuem
diretamente com os riscos.

O professor esclarece que a
contribuição da Psicologia acontece em três momentos: na prevenção dos
desastres, no combate ao problema e na reparação de possíveis danos
psicológicos ocasionados pelos eventos.
Como exemplo de trabalho
desenvolvido, Pitágoras cita a avaliação de planos de evacuação, quando
pesquisadores confrontam os perfis de comportamentos previstos nos
documentos com relatos e gravações de casos reais.

Segundo o
docente, projetos de emergência normalmente presumem que as pessoas irão
agir de um modo determinado nos momentos de perigo, mas nem sempre
esses comportamentos se confirmarão. “Se você pegar qualquer plano
desses, a primeira diretriz é ‘não entre em pânico’. Mas o que a gente
verifica, na prática, é exatamente o contrário”, relata.

Sobre o
CEPED, Pitágoras vê na iniciativa a adoção, pela UFRN, de um
compromisso institucional. “Queremos que o esforço deixe de ser dos
professores individualmente e a Universidade, como instituição, passe a
desenvolver estudos e a disponibilizar pessoas de todas as áreas para
ajudar nas atividades dos órgãos públicos”, ressalta o professor.





Rayssa Aline/ Gazeta da serra











TRE-RN NÃO FUNCIONARÁ NOS DIAS 31 DE OUTUBRO A 1° DE NOVEMBRO

Através
da portaria 15/2013, publicada no último dia 18 de outubro, no Diário
da Justiça Eletrônico, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do
Rio Grande do Norte – TRE-RN, desembargador Amílcar Maia e o
vice-presidente/Corregedor Regional Eleitoral, desembargador João
Rebouças, transferiram o feriado do dia 28 de outubro, segunda-feira,
quando se comemora o Dia do Servidor Público para o dia 31,
quinta-feira.





Nesta segunda-feira, 28 as unidades da Justiça Eleitoral funcionarão normalmente. 


Como
o dia 1º de novembro, sexta-feira é feriado regimental e Dia de Todos
os Santos, o TRE-RN só voltará a funcionar na segunda-feira, dia 4 de
novembro. No sábado, dia 2, não haverá o recadastramento biométrico da
capital que está sendo realizado no Fórum Eleitoral, cuja meta geral de
atendimentos vem sendo atingida, de forma satisfatória.


Os
prazos que porventura devam iniciar-se ou completar-se nesses dias
ficam automaticamente prorrogados para o próximo dia útil subsequente.


Fonte:TRE



TRE-RN NÃO FUNCIONARÁ NOS DIAS 31 DE OUTUBRO A 1° DE NOVEMBRO

Através
da portaria 15/2013, publicada no último dia 18 de outubro, no Diário
da Justiça Eletrônico, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do
Rio Grande do Norte – TRE-RN, desembargador Amílcar Maia e o
vice-presidente/Corregedor Regional Eleitoral, desembargador João
Rebouças, transferiram o feriado do dia 28 de outubro, segunda-feira,
quando se comemora o Dia do Servidor Público para o dia 31,
quinta-feira.





Nesta segunda-feira, 28 as unidades da Justiça Eleitoral funcionarão normalmente. 


Como
o dia 1º de novembro, sexta-feira é feriado regimental e Dia de Todos
os Santos, o TRE-RN só voltará a funcionar na segunda-feira, dia 4 de
novembro. No sábado, dia 2, não haverá o recadastramento biométrico da
capital que está sendo realizado no Fórum Eleitoral, cuja meta geral de
atendimentos vem sendo atingida, de forma satisfatória.


Os
prazos que porventura devam iniciar-se ou completar-se nesses dias
ficam automaticamente prorrogados para o próximo dia útil subsequente.


Fonte:TRE



DIVIDA DO GOVERNO DO RN COM LOCADORA CHEGA A 1 MILHÃO DE REAIS










A dívida do Governo do Rio Grande do Norte com os contratos de
locação de veículos para as Polícias Militar e Civil, é de
aproximadamente R$ 1 milhão. O valor, porém, pode ser ainda maior, visto
que, a conta não inclui os 200 automóveis modelo Gol locados à Polícia
Militar e usados como viaturas no interior do Estado. De janeiro a julho
deste ano, nenhum repasse foi feito ao consórcio locador.


Os representantes do consórcio preferiram silenciar quando
questionados sobre os valores totais devidos pelo Executivo Estadual,
temendo represálias como o descumprimento do pagamento, agendado
verbalmente para o próximo dia 10.


Com certeza se o governo não pagar a partir do dia 10 vai começar a
“Operação Recolhe Viatura”. E a sociedade irá sofrer de vez com a falta
de policiamento. Isso acontece devido o descaso do governo do estado
para com a segurança pública. Vergonha!







APBMS

DIVIDA DO GOVERNO DO RN COM LOCADORA CHEGA A 1 MILHÃO DE REAIS










A dívida do Governo do Rio Grande do Norte com os contratos de
locação de veículos para as Polícias Militar e Civil, é de
aproximadamente R$ 1 milhão. O valor, porém, pode ser ainda maior, visto
que, a conta não inclui os 200 automóveis modelo Gol locados à Polícia
Militar e usados como viaturas no interior do Estado. De janeiro a julho
deste ano, nenhum repasse foi feito ao consórcio locador.


Os representantes do consórcio preferiram silenciar quando
questionados sobre os valores totais devidos pelo Executivo Estadual,
temendo represálias como o descumprimento do pagamento, agendado
verbalmente para o próximo dia 10.


Com certeza se o governo não pagar a partir do dia 10 vai começar a
“Operação Recolhe Viatura”. E a sociedade irá sofrer de vez com a falta
de policiamento. Isso acontece devido o descaso do governo do estado
para com a segurança pública. Vergonha!







APBMS

ATENDIMENTO NO HOSPITAL REGIONAL DE CURRAIS NOVOS AINDA NÃO TEVE MUDANÇAS










O Juiz Marcus Vinicius concluiu que os serviços continuam sendo
prestados de maneira inadequada, tendo constatado, também, que as
determinações do desembargador Claudio Santos – no sentido de que o
Estado providenciasse as condições para efetivo funcionamento da unidade
– não foram cumpridas.


O magistrado declarou encerrada a fase de instrução do processo e
encaminhou ao desembargador Cláudio Santos o resultado da análise e da
audiência pública realizada no local.


O juiz de Currais Novos determinou ainda o encaminhamento dos autos
para o Ministério Público apresentar as razões finais, no prazo de cinco
dias; em seguida, os autos devem ser remetidos às demais partes para
também em cinco dias providenciarem as considerações. Com os prazos
concluídos, os autos seguirão para julgamento.




Com informações do TJRN